Energia Elétrica

Você sabia que paciente de ELA tem direito a isenção e restituição do icms na conta de luz? Tem sim! Procure um defensor publico para maiores informações de acordo com sua concessionária de energia elétrica. Também vamos falar da tarifa social, quem tem direito. E fontes alternativa de energia elétrica, qualquer duvida deixe seu comentário no fim da pagina, é compartilhando experiências que ajudamos ao próximo.    — Voz ELA Gratidão Sempre —

— A Tarifa Social de Energia Elétrica, regulamentada pela Lei nº 12.212, de 20/01/2010 Pelo Decreto nº 7.583, de 13 de outubro de 2011, é caracterizada por descontos incidentes sobre tarifa econômica na classe residencial das distribuidoras de energia elétrica , sendo calculado de modo cumulativo de acordo com a tabela acima.

III – família inscrita no Cadastro Único com renda mensal de até 3 (três) salários mínimos, que tenha portador de doença ou deficiência cujo tratamento, procedimento médico ou terapêutico requeira o uso continuado de aparelhos, equipamentos ou instrumentos que, para o seu funcionamento, demandem consumo de energia elétrica. Também é muito importante o familiar fazer um cadastro de prioridade de energia na sua concessionária assim quando tiver algum problema na distribuição, a manutenção na sua área sera prioritária! Fonte ANEEL

— Um dos grandes vilões na conta de luz são os concentradores de oxigênio! Pode chegar a R$ 350,00 de consumo somente ele! Conforme modelo, se ligado 24 horas por dia.

— Caso o paciente seja necessário o uso de oxigênio, solicite oxigênio em cilindros, o município é obrigado a fornecer gratuitamente.
(Fique atento aos seus direitos)

— Ter uma alternativa de energia para nós pacientes de E.L.A é algo vital, principalmente quando somos totalmente dependentes de um Bipap ou Respirador e Aspirador de Secreção, a iluminação também é muito importante. Algumas pessoas falam “se faltar Luz o paciente morre” não é bem assim pessoal, existe o bom e velho AMBU.

— Sendo que um paciente dependente de respirador tem que ter uma pessoa qualificada sempre por perto, pois quando falta energia o no-break dá aviso sonoro de falta de energia, aí é hora de ficar em alerta caso os aparelhos desliguem e fazer Ambu até a ambulância chegar. Vou falar os prós e contras de alguns sistemas.

— Existem diversos modelos no mercado, com motor 2 tempos e 4 tempos e diversas potências, com partida elétrica e manual ou apenas manual “Do tipo que tem uma cordinha para puxar rápido até o motor pegar” Encontrei preços acessíveis para a potência de 500 Watts real é o suficiente para manter ligado um bipap ou respirador portátil e um aspirador de secreção elétrico.

Prós:

— Pode ficar ligado por muitas horas, desde que esteja em um local aberto e ventilado, protegido da chuva. Ao reabastecer o tanque tem que desligar e ter cuidado para não cair gasolina fora!!! Leia o manual do seu modelo.
— Preço acessível nos modelos mais simples.
— Pode ser ligado o aspirador de secreção elétrico.

Contras:

— Risco de pegar fogo ou até explodir.
— Forte cheiro de gasolina no escapamento de combustão, principalmente para motor do tipo 2 tempos, pois a lubrificação é misturada à gasolina que queima junto.
— Barulho: se o motor for do tipo 4 tempos o barulho é menor, isso varia muito do fabricante e do tipo de escapamento usado.
— Manutenção periódica mesmo não usando.
— Possibilidade de o motor não pegar na hora que precisar.
— Tem de ser ligado diretamente no bipap ou respirador, porquê os no-breaks não funcionam no gerador.
— Não da para usar em apartamentos em condomínios.

Esta alternativa é a mais cara entre as mencionadas aqui, pois depende de mão de obra especializada e componentes caros, como a placa solar fotovoltaica. Este sistema gera energia limpa e ecologicamente correta. A energia gerada pela placa solar também chamada de placa fotovoltaica pode ser armazenada em baterias do tipo Estacionária para quando faltar energia da concessionária você poder usar esta energia armazenada nas baterias. (Não é o mesmo tipo de bateria usada em carros) Mantem a bateria ou as baterias Estacionárias sempre carregadas para o uso.

Prós:

— Mantem as baterias sempre carregadas sem consumo na sua conta de “luz”.
— Pode ser autossuficiente, ou seja, ficar ligado gerando energia por tempo indeterminado, pois durante o dia além de carregar as baterias para a noite, o sistema pode manter os aparelhos funcionando também durante o dia, conforme a quantidade de placas usadas no projeto.
— Não gera barulho nem odor.
— Pode ser usado para diminuir o valor da sua conta de energia.

Contras:

— Atualmente é caro de ser implantado este sistema, porquê depende de infraestrutura apropriada.
— As baterias têm tempo de validade e garantia, podendo exigir troca em poucos anos de uso, conforme fabricante e qualidade. Não existe um tempo específico de quantos anos vai durar!
— Tem que ser em casa, pois em prédios em condomínios teria que ser aprovado em assembleia e estar de acordo com a convenção do condomínio.

— No mercado nacional existem uma grande variedade de modelos de no-breaks, com bateria interna ou externa como auxiliar, não são todos os modelos que permitem uso de bateria externa para ter maior autonomia em horas.
Os mais baratos têm autonomia de alguns minutos sem energia, já os modelos mais robustos e potentes são os mais caros, podendo ter autonomia de várias horas.

Prós:

— Entra em funcionamento automático sem a necessidade de intervenção humana.
— Dispõe de alarme sonoro quando falta energia e quando a carga da bateria está acabando.
— Funciona como um estabilizador de energia também, protegendo os aparelhos nele ligados.
— Tem múltiplas tomadas de saída, sem a necessidade de uso de T ou barra de tomadas.
— Conforme modelo pode ser comprada bateria especifica pelo fabricante, de uso externo para ter maior autonomia de horas sem energia provida pela concessionária.
— Fácil instalação.

Contras:

— Os modelos com preços acessíveis não chega a uma hora de autonomia.
— A maioria dos modelos comercializados não pode ser ligado em aparelhos com motor, tipo o aspirador de secreção elétrico.
— As baterias externas comercializadas pelos fabricantes são caras e limitadas a uma quantidade de potencia de acordo com o fabricante e modelo.

— Eu particularmente gosto muito desse sistema, é o que eu uso quando falta energia por muito tempo.
Para montar vamos utilizar três componentes, uma bateria estacionária ou várias, um inversor de energia “Tipo um transformador”. Ele converte de 12 Volts ou 24 Volts DC para 110 Volts ou 220 Volts AC, conforme o modelo! E um carregador inteligente.

— Este sistema é muito parecido com o sistema solar, mas em vez de usar placas solares fotovoltaicas para manter a bateria carregada vamos utilizar um carregador de baterias inteligente também chamado de carregador flutuante. Existem muitos modelos no mercado, a maioria tem proteção de polo invertido, ou seja, quando ligado errado na bateria ele não queima, acende uma luz no painel informando polos invertidos. Outra opção é informar quando a bateria está carregada, mas pode deixar sempre ligado pois quando está totalmente carregada a bateria, ele para de mandar carga e ai entra em funcionamento o modo flutuante de carga, aumentando a vida útil de sua bateria.

— O inversor é tipo um “transformado”, ele pega a carga da bateria e converte para 110 Volts ou 220 Volts AC conforme modelo.
A maioria dos inversores tem uma porta usb charge para carregamento de celulares. É importante você ter comunicação em caso de emergência.
Também tem uma chave liga e desliga no inversor para não ficar descarregando a bateria estacionária sem uso, e tem aviso sonoro quando a carga da bateria está chegando ao fim.

— Por fim o mais importante: a bateria ou as baterias estacionárias, no caso do inversor for o do tipo com entrada de 24 volts vamos ter que usar duas baterias de 12 Volts em série. A potência da bateria é medida em Amperes, ou seja, quanto mais Amperes maior o tempo de autonomia. Existem baterias de até 240 amperes que são as mais caras. Eu utilizo uma da Freedom de 115 Amperes. Já fiquei mais de seis horas sem energia e não baixou muito a carga. O tempo de autonomia é potência da bateria em Amperes verso consumo dos aparelhos ligados.
Você poderá colocar o carregador na bateria a cada dez dias por algumas horas caso não utilize, ou deixar o carregador sempre ligado se for do tipo inteligente, e colocar pra carregar sempre após a utilização do sistema.

Prós:

— Fácil montagem, uma pessoa com conhecimentos básicos de elétrica ou eletrônica.
— Silencioso e não emite odores.
— Preços acessíveis e autonomia em horas maior do que no-breaks.
— Podem ser ligado motores tipo o aspirador de secreção elétrico conforme o modelo do inversor.
— Compacto e de fácil transporte.
— Pode ser usado em apartamentos em condôminos.

 Contras:

— Não entra em funcionamento automático quando falta “Luz” depende de intervenção humana.
— Ter um carregador inteligente flutuante para carregar a bateria estacionária.

Por, Jorge Mattos – RS